Dia de S. Valentim: Os Rituais de Corte dos Animais

Como alguns dos nossos animais de estimação seduzem o sexo oposto

ARCADENOE.SAPO.PT

Sexta, 13 de Fevereiro 2009

Dia de S. Valentim: Os Rituais de Corte dos Animais
Pretty legend

Cães


Os cães não são muito românticos e para eles não é fácil conquistar uma fêmea. Têm de esperar que estas entrem em cio e por isso, quando têm a oportunidade de acasalar, tentam vingar-se de todo o tempo que tiveram de esperar. A verdade é que para prevenir que a fêmea mude de ideia no meio do acto, os machos têm um mecanismo que permite que a junção dos dois corpos não possa ser desfeita. Assim, têm a garantia que a cópula dura entre 10 a 30 minutos. No fim, pode até acontecer cada um estar virado para seu lado, mas é caso para dizer que permanecem unidos nas suas divergências.

Gatos


A corte dos gatos é turbulenta, incansável, extravagante e ruidosa. Quando procuram um parceiro anunciam-no aos quatros ventos, aos cinco quarteirões, a todos os vizinhos e... o facto é que os gatos estão sempre à procura de parceira. Como verdadeiros boémios, fazem-no sobretudo durante a noite, é que o luar é mais romântico...

{BANNER}Os gatos têm também que lutar pelo coração das fêmea que demora algum tempo a decidir-se. Geralmente é quem ganha a luta de miados, com algumas escaramuças à mistura, que é escolhido pela fêmea.
 

Tartarugas


A corte das tartarugas é diversa e se umas espécies que optam por rodeios e carinhos, outras há que levam tudo à frente até obterem o que querem. No caso das tartarugas semi-aquáticas, os machos nadam à voltas da fêmea e fazem cócegas nas bochechas dela com as garras afiadas. Outras espécies podem ainda mordiscar a carapaça.

No caso das tartarugas terrestres, os machos dão encontrões às fêmeas de forma muito pouco carinhosa, mas se assim conseguem o que pretendem, quem somos nós para criticar?

Aves


Ao contrário do que acontece nos humanos, em que são, ou eram, as mulheres que se enfeitavam para seduzir os homens, no mundo das aves, é claramente o macho que tem esse papel.

Cantos, danças aéreas, plumagem berrante, óptimos conhecimentos de engenharia no que diz respeito à construção do ninho, etc,  tudo serve para ganhar a atenção e o interesse da fêmea.

Resumindo e concluindo, tudo o que fêmeas têm de fazer é ter muito espírito crítico para saber escolher o melhor companheiro.

Rãs


As rãs fazem serenatas para encontrarem um companheiro. Os machos coaxam e as fêmeas respondem. Mas elas não procuram apenas machos de voz forte, o sapo tem também de ter um bom território e um aspecto agressivo, possivelmente para defender o seu dote.

Peixes


Os peixes exibem diferentes tipos de corte conforme as espécies. Tal como nas aves, a aparência geralmente conta, mas também as ofertas de comida, as manifestações de agressividade perante outros peixes e... os peixes também dançam. Perseguir a fêmea, nadar lado a lado, roçar ligeiramente com a barbatana ou ziguezaguear pela água são alguns passos de dança que os peixes exibem para as fêmeas.

Cobras


Os rituais de corte nas cobras variam, mas muitos são desempenhados pela generalidade das famílias. De forma destrambelhada, o macho persegue a fêmea, mas compensa com o sibilar da língua com que toca nas escamas da fêmea. Numa tentativa desesperada por aceitação, o macho pode rastejar para baixo da fêmea, tentando alinhar os corpos.

Uma fêmea receptiva permite que o macho lhe levante a cauda para que se possa dar a cópula.

Lagartos


Geralmente as fêmeas procuram lagartos de posses, ou seja, são atraídas pelo território que o macho defende. Assim sendo, demonstrações de territorialidade por parte do macho são muito valorizadas pelas fêmeas. Encantados com as fêmeas, os machos aproximam-se de forma desajeitada. Mas nem tudo está perdido para os mais pobres. Em algumas espécies de lagartos, os estímulos químicos parecem desempenhar um papel relevante na corte. No caso dos geckos, os sons também ajudam a conquistar o sexo oposto.

Coelhos


A corte dos coelhos baseia-se no jogo do “toca e foge”. A fêmea começa o jogo soltando no ar feromonas que atraem o macho e de seguida os jogadores cheiram-se mutuamente para se ficarem a conhecer. Depois, o jogo começa: a fêmea corre e pula e o macho persegue-a. Enquanto correm, os coelhos dão uma espécie de coices no ar e imediatamente antes do acasalamento, o coelho anda às voltas da coelha. Neste ponto, se a coelha não estiver receptiva, o macho pode tornar-se agressivo, lutando com ela pela hipótese de acasalar. É caso para dizer que no amor não há “fair-play”.

Porquinho-da-Índia


Nos porquinhos-da-índia, a fêmea é quem manda. Quando entra no cio, torna-se mais activa, vocalizando frequentemente e dançando. Os machos dançam também, e depois de alguma aparato, a fêmea mostra-se receptiva, elevando a sua parte traseira.

Mas os machos têm segredos escondidos e não abdicam de algum controlo. No fim da cópula, deixam uma espécie de tampão de forma a evitar que os outros machos possam também acasalar com a mesma fêmea. Esta “rolha” cai ao fim de algumas horas.

Hamsters


Não existe muito romance no acasalamento de hamsters. Como alguns hamsters são solitários e outros acasalam sucessivamente, os machos têm de ser alojados separadamente das fêmeas. Assim, estes geralmente são colocados na mesma gaiola apenas com esse fim. Talvez devido à separação, a verdade é que basta a fêmea libertar um odor para atrair imediatamente os machos e repelir as fêmeas. Esse odor também instiga as lutas entre os ratos e apenas o mais forte ganha o direito de acasalar. Mas a alegria não dura muito, pois finda a cópula, os animais têm de ser novamente separados.

Gerbos


Os gerbos são animais que valorizam a companhia de um parceiro. Monogâmicos, formam pares para a vida. São animais discretos, não gostam de muitos alaridos, e os rituais de acasalamento passam quase sempre despercebidos.
URL: http://www.arcadenoe.pt/article.php?id=429
Date: 2014-10-23 10:20:27